segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Pão de Queijo do Viena

A minha verdadeira paixão pelo pão de queijo do Viena. amo. amo. amo. três, dez, um milhão de vezes. a massa macia e quase sem buraquinhos de ar, densa, deliciosamente chicletenta. e a casquinha fina, fina, fina, um toque de parmesão dá uma crocância pequenina, sutil. acompanhado de um belo expresso, acho a dupla mais-que-perfeita. Quem me acompanha no blog sabe que moro distante de grandes centros, portanto, não é sempre que posso degustar essa delícia no local (agora posso em casa). Encontrei um livro de autoria da rede, intitulado Viena: Comida de Casa Fora de Casa e achei exatamente na página 92, a receita que compartilho com vocês meus caros amigos do blog.

Ingredientes:

400 g de batata cozida e espremida
500 g de queijo meia-cura moído
450 g de polvilho doce
2 ovos
1/2 colher (chá) de fermento em pó
1/2 colher (chá) de sal
75 ml de óleo
75 ml de leite quente
queijo parmesão ralado para polvilhar

Modo de preparo:
Bata os ovos, fermento, sal e óleo e reserve. Misture o polvilho com o queijo. Junte a batata e mexa até ficar homogêneo. Faça um cova no centro e despeje ali a mistura de ovos. Mexa bem e adicione o leite aos poucos. Amasse vigorosamente com as mãos até obter uma massa lisa. Faça bolinhas com as mãos untadas de óleo. Disponha em uma assadeira guardando alguma distância entre elas para que os pãezinhos não grudem. Polvilhe com o parmesão e leve a assar em forno pré-aquecido a 180ºC até que fiquem douradinhos (cerca de 20 minutos).

Dicas:

- Bom à toda hora. Ótimo belisquete, mas, maravilhoso assim que acaba de ser feito e sair do forno. Ótimo companheiro do requeijão com salame (acho esse casamento tão perfeito com o pão de queijo!). Também fica feliz com uma manteiguinha boa, escorrendo logo ao sair do forno.
- O queijo meia-cura é encontrado facilmente no supermercado ou em laticínios. - às vezes, preciso de um pouco mais de leite para poder amassar a massa.
- Nem sempre polvilho o parmesão
- Pode ser congelado: faça bolinhas e congele "em aberto" por um dia. Depois, é só guardar em uma vasilha tampada.
- Ah, sim! além das receitas em si, o livro tem um texto muito gostoso (pudera, é Ignácio de Loyola Brandão) contando a trajetória da rede em pouco mais de 30 anos de existência.

Fonte: Receita original de: Viena: Comida de Casa Fora de Casa
Texto Ignácio de Loyola Brandão











Pecado da Gula

Nenhum comentário:

Postar um comentário