segunda-feira, 20 de maio de 2013

Pretzel



Quem me acompanha no blog sabe que moro em Águas de Lindoia uma cidade charmosa no estado de São Paulo que faz divisa com Monte Sião-MG. Vez ou outra, damos uma escapada até Campinas, vamos ao Shopping pegar um cineminha, e curtir uns fast-foods a pedido do Arthur. Logo de cara ele é atraído pelo aroma do “pretzel” que é apreciado antes mesmo de ir ao Mc Donald’s. Ontem, domingo, bateu uma vontade do tal pretzel. E o que uma avó não faz quando o neto faz aquela carinha? Fui em busca da velha receita que nem havia testado ainda, e mãos na massa, literalmente. E não é que saiu um pretzel genérico? Genérico, porém delicioso. Ontem à noite havia sobrado 2 ele comeu 1 de sobremesa do jantar e hoje o segundo serviu de sobremesa do almoço. Acho que foi aprovado...



Ingredientes:

Massa:

3 xícaras de farinha de trigo
1 pitada de sal
½ xícara de água morna
½ xícara de leite integral
1 ovo
100 g de manteiga
3 colheres (sopa) de açúcar
2 tabletes de fermento biológico fresco
Um pouco de farinha de trigo para modelar os pretzels

Para pincelar:

200 g de manteiga sem sal

Para polvilhar:

6 colheres (sopa) de açúcar refinado
2 colheres (sopa) de canela em pó

Modo de preparo:

Numa tigela, peneire juntos a farinha de trigo e o sal. Coloque a água morna, o leite o ovo as 100 g de manteiga, as 3 colheres de açúcar e o fermento no copo do liquidificador. Bata até homogeneizar. Misture com a farinha de trigo e sal e sove a massa até começar a soltar das mãos, mas que esteja úmida no centro. Não pode deixar a massa com a consistência dura. Cubra e deixe descansar por 15 minutos. Numa superfície com farinha, divida a massa em 12 partes. Faça rolos na largura de um dedo e com de 30 cm de comprimento e modele-os no formato do pretzel. Ponha em uma assadeira untada e deixe descansar por 30 minutos. Asse em forno pré-aquecido a 180º por aproximadamente 25 minutos ou até dourar. Pincele com a manteiga. Polvilhe com o açúcar misturado à canela.





sexta-feira, 17 de maio de 2013

Homus



Esta pasta árabe de grão-de-bico é a receita certa para começar uma refeição de maneira saudável e saborosa. Ela também pode ser usada de maneiras diferentes, como acompanhamento de aves e peixes. Fica deliciosa sobre fatias de berinjela assada. 









Ingredientes:

300 g de grão-de-bico
suco de 1 limão
1 dente de alho descascado
100 g de tahine
azeite a gosto
sal e pimenta-do-reino moída a gosto

Modo de preparo:

Coloque o grão-de-bico numa tigela e cubra com água. Deixe de molho por no mínimo 4 horas. Escorra a água do molho e transfira os grãos para uma panela grande. Cubra os grãos com 1 litro de água. Leve a panela ao fogo alto e deixe cozinhar por aproximadamente 50 minutos ou até ficar macio, mas tome cuidado para não deixar desmanchar. Quando o grão-de-bico estiver cozido, retire do fogo. Escorra a água, mas não toda. Uma parte dela será usada para bater os grãos. Retire as cascas dos grãos com as mãos e despreze-as. No processador de alimentos, bata o grão-de-bico descascado, o alho, o suco de limão e o tahine. Tempere com sal e pimenta-do-reino moída. Adicione a água do cozimento aos poucos e bata até obter uma pasta homogênea. O ponto deve ser o de um patê grosso. Retire o homus do processador, coloque num prato. Se quiser, acrescente azeite sobre a pasta ou decore com páprica picante. Sirva com pão sírio.






Fonte: Panelinha no Rádio/ Rádio Estadão FM 92.9 domingo ao meio-dia



quinta-feira, 16 de maio de 2013

Risoto de Peras com Gorgonzola e Nozes



Na culinária, alguns ingredientes parecem ter nascido uns para os outros, como a canela e a maçã, a muçarela e o tomate, figo com presunto cru. O frescor do figo com a sofisticação do presunto...  Mas tem um casamento que considero mais do que perfeito: a pera e o gorgonzola...Um dos risotos mais pedidos nos restaurantes leva a mistura doce/salgada da pera com o queijo gorgonzola. E é bem fácil de fazer. 




Ingredientes:


400 gramas de arroz arbóreo
2 peras maduras
150 gramas de gorgonzola
2 colheres de suco de limão
30 gramas de manteiga
1 cebola
2 talos de salsão
nozes picadas, a gosto
500 ml de vinho branco seco
1 litro de caldo de legumes (receita no blog)
sal e noz moscada a gosto

Modo de preparo:

Cortar a pera em cubinhos com a casca e molhar com o limão recém espremido. Saltear na panela, na manteiga, o salsão e a cebola bem picados, até amolecê-los. Juntar 2/3 da pera em cubinhos. Juntar o arroz e dourá-lo por 3 minutos, mexendo sempre. Juntar o vinho e evaporá-lo, em fogo baixo. Colocar uma concha de caldo e mexer sempre, até incorporar. Vá colocando uma concha de caldo por vez, por cerca de 15 minutos, ou até que a parte externa do grão fique mole e o centro, ainda resistente. Terminar colocando os cubinhos de gorgonzola e o restante da pera, Colocar sal, se necessário, e pitada noz moscada. Salpique as nozes picadas e mexa cuidadosamente.







Serve 4 pessoas






Esta receita e do Spadaccino Ristorante e Rosticceria, que fica em São Paulo, na Vila Madalena, lugar super agradável e serviço impecável:

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Quibe Assado das Arábias



 É prático, saudável, saboroso e ainda pode ser servido quente ou frio. Um clássico!










Ingredientes:

Massa:

1 kg de carne bovina (capa de filé) moída 2 vezes
500 g de trigo fino
3 colheres (chá) de sal (ou a gosto)
Azeite de oliva a gosto
1 colher (chá) de pimenta síria
½ colher (chá) de pimenta-do-reino-moída na hora
2 xícaras de folhas de hortelã fresca
2 cebolas médias
5 pedras de gelo
100 g de manteiga em ponto de pomada
Azeite de oliva para regar
1 xícara de água filtrada

Recheio:

1/2 kg de carne moída (coxão mole) moída 2 vezes
2 cebolas médias picadas
1 colher (chá) de pimenta-síria
1/4 colher (chá) de pimenta-do-reino moída na hora
1/2 colher (chá) de summac (tempero vermelho e ácido) (opcional)
1 maço de hortelã picada
3 colheres (sopa) de salsinha picada
3 colheres (sopa) de óleo
1/2 xícara (chá) de nozes picadas ou snobar
1 colher (sopa) de manteiga
1 colher (chá) de sal

Modo de preparo:

Massa:

Numa tábua, corte a cebola ao meio e cada metade em 3 pedaços. Reserve. Lavar o trigo, deixar de molho por 20 minutos, espremer e reservar. No processador de alimentos, junte a carne, o trigo, as cebolas, os temperos. Bata por 30 segundos, acrescente o gelo, misture com as mãos até ficar uma massa homogênea. Retire as pedras de gelo e separe a massa em duas tigelas e reserve na geladeira.

Recheio:

Numa frigideira média, derreta 1 colher (sopa) de manteiga em fogo médio. Coloque as nozes e deixe dourar por 10 minutos. Transfira as nozes douradas para um prato. Reserve algumas para a decoração. Leve a mesma frigideira com o óleo ao fogo médio. Quando esquentar, refogue a cebola por 5 minutos. Junte a carne e refogue até secar a água. Tempere com a salsinha, os condimentos e o sal. Por último, acrescente as nozes ou pinhole e misture.

Montagem:

Pré-aqueça o forno 180º. Numa travessa refratária untada com manteiga, espalhe a massa com as mãos úmidas até que fique com 3 cm de espessura. Espalhe o recheio e cubra com o restante da massa, usando porções pequenas para encaixar na travessa, como um quebra-cabeça. Alise a superfície novamente com as mãos úmidas até ficar com a mesma espessura de 3 cm. Risque o quibe, formando quadrados ou losangos. Decore cada quadrado ou losango com um pedaço de noz ou snobar no centro. Coloque a manteiga as colheradas por cima da massa, regue com bastante azeite e derrame a água por cima. Leve o quibe ao forno por 20 minutos ou até dourar. Sirva quente ou frio decorado com hortelã.

Sugestão de acompanhamentos: coalhada seca, tabule, torrada de pão sírio, hommos bil tahine, babagannuj, fattouch, m’hammara, etc.

 




terça-feira, 14 de maio de 2013

Cheesecake com Calda de Cereja



A indústria da comida ficou tão pobre quanto Hollywood. Thanks God! Seja a espuma da moda dos Chefs caríssimos ou a tradição familiar de um croquete de boteco, a comida é fotografada, compartilhada na internet; é um fetiche! Se essa onda de comida cheia de prazer tem uma rainha, ela se chama Nigella. Ela esteve no Brasil a semana passada para lançar mais um livro e numa entrevista com a jornalista Bárbara Ganzia, que referiu-se as suas receitas: " tem a ver com hedonismos e prazer", afirmando que ela preza as coisas boas da vida e nem tanto as saudáveis.- “Mas eu não faço essa distinção. Há momentos em que queremos um bolo com chantilly e momentos em que queremos um caldo de legumes. Ambos me dão prazer, então não gosto dessa mentalidade que demoniza alguns pratos e venera outros. O propósito da comida é nutrir e dar prazer. Eu sempre penso que comer bacon e manteiga é como se eu estivesse colocando um hidratante para dentro e costumo beber de 3 a 4 litros de água por dia. Faço pilates e exercícios físicos 5 vezes por semana, para não precisar fechar a boca”. Realmente tem alguns pontos que até nos favorece. A gente precisa comer o que gosta, se for saudável também tudo a ver... Fiquei mais fã dela ainda...(menos na parte dos exercícios físicos... Nossa Senhora da Cintura Fina que me perdoe...



Ingredientes:

125 g de biscoito Maisena
75 g de manteiga amolecida
300 g de cream cheese
60 g de açúcar de confeiteiro
1 colher (chá) de essência de baunilha
1/2 colher (chá) de suco de limão
250 ml de creme de leite fresco
1 vidro (284 g) de geléia de cereja (previamente dissolvida com 2 colheres (sopa) de água filtrada - levar ao fogo numa panelinha até ferver, desligar o fogo e esperar esfriar para empregar)

Modo de preparo:

Bata os biscoitos no processador de alimentos até que esfarelem. Junte a manteiga e bata de novo até que virem uma massa compacta. Pressione esta mistura no fundo de uma fôrma redonda com fundo removível de 20 cm de diâmetro. Pressione bem os lados para que eles fiquem um pouco mais altos do que o fundo. Bata juntos o cream cheese, o açúcar, a essência de baunilha e o limão, até a mistura ficar cremosa. Bata o creme de leite e junte-o à mistura de cream cheese. Espalhe sobre a base de biscoitos e alise com uma espátula. Deixe na geladeira por 3 horas ou de um dia para o outro. Na hora de servir, desenforme a cheesecake e espalhe por cima a calda feita com a geleia de cereja.











Fonte: Nigella

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Bolo Inglês de Laranja



Com uma colher de licor na massa e outra de água de flor de laranjeira no glacê, esse bolo de laranja é especial por ser ultra perfumado, daqueles que se sente o cheiro ainda no forno... Irresistível!










Ingredientes:

Massa:

200 g de manteiga em temperatura ambiente
3 xícaras (chá) de açúcar
6 ovos
1 xícara (chá) de suco de laranja
3/4 de xícara (chá) de iogurte natural
1 colher (sopa) de Cointreau 
3 xícaras de farinha de trigo
1 colher (chá) de fermento em pó
1 colher (chá) de sal
1 colher (sopa) de raspas de laranja pêra
1 colher (chá) de extrato de baunilha

Glacê:

1 xícara (chá) de açúcar de confeiteiro
2 colheres (sopa) de suco de laranja
1 colher (sopa) de água de flor de laranjeira
raspas de laranja pêra a gosto

Modo de preparo:

Massa:

Pré-aqueça o forno a 180°. Unte com manteiga e polvilhe com farinha de trigo uma assadeira para bolo inglês de cerca de 30 cm de comprimento. Passe a farinha de trigo e o açúcar pela peneira, separadamente. Numa terceira tigela, misture o iogurte, o suco de laranja, o licor e o extrato de baunilha. Na batedeira, junte a manteiga e o açúcar peneirado. Em velocidade média, bata até virar um creme fofo e esbranquiçado. Acrescente os ovos, um a um, batendo sempre. Adicione a farinha peneirada e a mistura de iogurte e suco alternadamente, até formar uma massa lisa. Em seguida, junte o fermento e o sal. Desligue a batedeira e acrescente as raspas de laranja. Usando uma espátula, misture bem. Transfira a massa para a fôrma preparada e leve ao forno pré-aquecido para assar por cerca de 50 minutos. Para verificar o ponto, espete um palito na massa. Se sair limpo, está pronto. Retire do forno e deixe o bolo esfriar por 15 minutos, antes de desenformar. Deixe esfriar completamente antes de cobrir com o glacê. Espere secar e sirva a seguir.

Glacê:

Somente na hora de espalhar o glacê, misture o açúcar de confeiteiro, o suco de laranja e a água de flor de laranjeira numa tigelinha. Regue sobre o bolo e espere secar por 1 hora antes de servir. Decore com as raspas de laranja.

Fonte: Cozinha Prática

Bolo Amanteigado para Chá



Esta é uma receita simples e prática, ideal para quem não abre mão de um bolinho na mesa, mas não tem muito tempo para cozinhar.











Ingredientes:

3 xícaras de farinha de bolos * - peneire antes de medir
1 pitada de sal
200 g de manteiga sem sal, amolecida
3 xícaras de açúcar refinado
7 ovos grandes, temperatura ambiente
2 colheres (chá) de extrato de baunilha
1 caixinha de creme de leite
açúcar de confeiteiro, para polvilhar (opcional)

Unte generosamente com manteiga e enfarinhe uma forma de furo central de 25cm de diâmetro (com 11,2cm de altura). Peneire a farinha e o sal juntos duas vezes. Reserve.
Na tigela grande da batedeira bata a manteiga e o açúcar em velocidade médio-alta até obter um creme claro e fofo. Junte os ovos, um a um, batendo bem a cada adição. Junte a baunilha. Reduza para a velocidade baixa e acrescente metade da mistura de farinha, seguida de todo o creme de leite e o restante da farinha, batendo bem a cada adição. Raspe as laterais da tigela e então bata a massa em velocidade média-alta por 5 minutos – a massa vai ficar bem cremosa e sedosa. Transfira a massa para a forma preparada e bata-a levemente sobre a pia uma ou duas vezes para remover bolhas de ar. Coloque a forma no forno ainda frio e acenda-o na temperatura de 180°. Asse até que o bolo cresça e doure, por 1 hora a 1 hora e 25 minutos (faça o teste do palito: ele deverá sair com alguns farelinhos de bolo). Deixe o bolo esfriar dentro da forma sobre uma gradinha por 30 minutos. Em seguida, desenforme com cuidado sobre a gradinha, passando uma faquinha nas laterais da forma se necessário.  Deixe esfriar completamente. Polvilhe com açúcar de confeiteiro se desejar. O bolo pode ser guardado (depois de totalmente frio), bem embrulhado em plástico filme ou em um recipiente hermético, em temperatura ambiente, por até 5 dias.

* farinha para bolos caseira: retire 2 colheres (sopa) de 1 xícara (140g) de farinha de trigo comum e adicione 2 colheres (sopa) de amido de milho.

Barrinha de Cereais

Esta barrinha de cereais recheada de alimentos chamados funcionais além de saborosa é ideal para o lanchinho das crianças ou para deixar em saquinhos dentro da bolsa. Seu organismo vai agradecer :)








Ingredientes:

2 xícaras (chá) de aveia em flocos finos
1 xícara (chá) de flocos de quinua, amaranto e chia
½ xícara (chá) de farelo de trigo e farelo de aveia
½ xícara (chá) de castanha-do-Brasil
½ xícara (chá) de golden berry ou uva passa ou misturando os tipos
1 xícara (chá) de açúcar demerara ou adoçante culinário ou meio a meio
1 xícara (chá) de farinha de trigo
1 pitada de sal
½ xícara (chá) de óleo de coco ou óleo vegetal
¼ xícara (chá) de semente de linhaça batida com ½ xícara (chá) de água
1 xícara (chá) de geleia de damascos preparada com 6 damascos e 1 xicara de água
Modo de preparo:

Geleia de Damascos:

Bata no liquidificador os damascos com a água e leve ao fogo até reduzir à consistência de geleia.

Barrinha de Cereais:


Misture todos os ingredientes em uma tigela, menos a geleia. Em uma assadeira forrada com papel manteiga, coloque metade da massa da barrinha e aperte continuamente com as costas de uma colher para deixar a superfície uniforme. Passe a geleia de damasco e finalize com mais uma camada de massa da barrinha apertando novamente com as costas de uma colher molhada. Corte com uma espátula de metal em 30 pedaços e leve para assar por no máximo 15 minutos em forno pré-aquecido a 180º.







sábado, 11 de maio de 2013

Dia das Mães



Dia das Mães

O dia das mães deveria ser todos os dias.

Amanhã se comemora o dia das mães aqui no Brasil... apenas mais uma data comercial, mas sendo esse dia a nós dedicado, eu ofereço à todas aquelas que são mães, foram, ou serão, de que forma forem, este belíssimo texto de Lya Luft, que traduz em palavras todo o sentimento de mãe que levo no meu coração!

Recebam todas vocês o meu carinhoso abraço!

“Que nossa vida, meu filhos, tecida de encontros e desencontros, como a de todo mundo, tenha por baixo um rio de águas generosas, um entendimento acima das palavras e um afeto além dos gestos – algo que só pode nascer entre nós. Que quando eu me aproxime, meu filho, você não se encolha nem um milímetro com medo de voltar a ser menino, você que já é um homem. Que quando eu a olhe, minha filha, você não se sinta criticada ou avaliada, mas simplesmente adorada, como desde o primeiro instante.

Que, quando se lembrarem de sua infância, não recordem os dias difíceis (vocês nem sabiam), o trabalho cansativo, a saúde não tão boa, o casamento numa pequena ou grande crise, os nervos à flor da pele – aqueles dias em que, até hoje arrependida, dei um tapa que ainda agora dói em mim, ou disse uma palavra injusta. Lembrem-se dos deliciosos momentos em família, das risadas, das histórias na hora de dormir, do bolo que embatumou, mas que vocês, pequenos, comeram dizendo que estava maravilhoso. Que pensando em sua adolescência não recordem minhas distrações, minhas imperfeições e impropriedades, mas as caminhadas pela praia, o sorvete na esquina, a lição de casa na mesa de jantar, a sensação de aconchego, sentados na sala cada um com sua ocupação.

Que quando precisarem de mim, meus filhos, vocês nunca hesitem em chamar: mãe! Seja para prender um botão de camisa, ficar com uma criança, segurar a mão, tentar fazer baixar a febre, socorrer com qualquer tipo de recurso, ou apenas escutar alguma queixa ou preocupação. Não é preciso constrangerem-se de ser filhos querendo mãe, só porque vocês também já estão grisalhos, ou com filhos crescidos, com suas alegrias e dores, como eu tenho e tive as minhas. Que independendo da hora e do lugar, a gente se sinta bem pensando no outro. Que essa consciência faça expandir-se a vida e o coração, na certeza de que aquela pessoa, seja onde for, vai saber entender; o que não entender vai absorver; e o que não absorver vai enfeitar e tornar bom.

Que quando nos afastarmos isso seja sem dilaceramento, ainda que com passageira tristeza, porque todos devem seguir seu caminho, mesmo que isso signifique alguma distância: e que todo reencontro seja de grandes abraços e boas risadas. Esse é um tipo de amor que independe de presença e tempo. Que quando estivermos juntos vocês encarem com algum bom humor e muita naturalidade se houver raízes grisalhas no meu cabelo, se eu começar a repetir histórias, e se tantas vezes só de olhar para vocês meus olhos se encherem de lágrimas: serão apenas de alegria porque vocês estão aí. Que quando pareço cansada vocês não tenham receio de que eu precise de mais ajuda do que vocês podem me dar: provavelmente não precisarei de mais apoio do que do seu carinho, da sua atenção natural e jamais forçada. E, se precisar de mais que isso, não se culpem se por vezes for difícil, ou trabalhoso ou tedioso, se lhes causar susto ou dor: as coisas são assim. Que, se um dia eu começar a me confundir, esse eventual efeito de um longo tempo de vida não os assuste: tentem entrar no meu novo mundo, sem drama nem culpa, mesmo quando se impacientarem. Toda a transformação do nascimento à morte é um dom da natureza, e uma forma de crescimento.

Que em qualquer momento, meus filhos, sendo eu qualquer mãe, de qualquer raça, credo, idade ou instrução, vocês possam perceber em mim, ainda que numa cintilação breve, a inapagável sensação de quando vocês foram colocados pela primeira vez nos meus braços: misto de susto, plenitude e ternura, maior e mais importante do que todas as glórias da arte e da ciência, mas sério do que as tentativas dos filósofos de explicar os enigmas da existência. A sensação que vinha do seu cheiro, da sua pele, de seu rostinho, e da consciência de que ali havia, a partir de mim e desse amor, uma nova pessoa, com seu destino e sua vida, nesta bela e complicada terra. E assim sendo, meus filhos, vocês terão sempre me dado muito mais do que esperei ou mereci ou imaginei ter.”

À você,  que é o começo de tudo.

Foto: Meus filhos Marcelo e Mariana / Arthur neto (filho da Mariana)

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Quiche Lorraine



Clássico dos clássicos da cozinha francesa, esta quiche tem pedacinhos de bacon num recheio cremoso de queijo. Deu água na boca só de pensar. 










Ingredientes:

Massa:

 250 g de farinha de trigo
125 g de manteiga
1 ovo
1 colher (chá) de água
sal a gosto
manteiga e farinha de trigo para untar e enfarinhar

Recheio:

1 xícara (chá) de leite
1 xícara (chá) de creme de leite fresco
4 ovos
80 g de bacon em cubinhos
80 g de queijo gruyère
sal, noz-moscada e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:

Massa:

Numa tigela, adicione todos os ingredientes e misture bem com as mãos até obter uma massa homogênea. Modele uma bola com a massa. Embrulhe a massa em filme e leve à geladeira por 10 minutos. Numa superfície lisa e enfarinhada, abra a massa com o auxílio de um rolo. Em seguida, unte e enfarinhe uma fôrma de 20 cm de diâmetro. Forre o fundo e as laterais da fôrma com a massa.

Recheio:

 Pré-aqueça o forno a 180°C (temperatura média).  Numa tigela, junte os ovos, o leite e o creme de leite e bata com um fouet (batedor de arame) até ficar homogêneo. Tempere com sal e pimenta a gosto. Numa panela, de preferência antiaderente, leve o bacon em cubinhos ao fogo médio por 3 minutos.  Retire do fogo, escorra a gordura e reserve.  Rale o queijo gruyère em ralo grosso. Reserve.
Cubra a massa com o queijo gruyère ralado, o bacon e o creme de ovos, separadamente, seguindo esta ordem.  Leve ao forno para assar por 30 minutos, ou até que a superfície fique dourada. Retire do forno e sirva a seguir.

Fonte: Rita Lobo
 



Crepes com Morangos e Creme de Mascarpone



Uma ótima opção para terminar a noite, estes crepes fecham bem qualquer jantar. Ou uma excelente maneira para começar o dia, elas são ótimas para o café da manhã!












Ingredientes:

Massa:
2 xícaras de farinha de trigo
1 colher (chá) de sal
4 colheres de sopa de óleo de milho
2 xícaras de leite integral
½ xícara de soda limonada
2 ovos

Modo de preparo:

Peneire junto a farinha de trigo e o sal. No liquidificador coloque os ovos, o óleo, o leite e  a soda limonada. Adicione os ingredientes secos e bata até obter uma massa lisa e fina. Certifique-se de que não ficou farinha de trigo grudada na parede do copo do liquidificador. Leve à geladeira para descansar por 30 minutos. Unte com manteiga uma frigideira antiaderente. Retire o excesso de manteiga com um papel-toalha. Leve ao fogo médio. Quando esquentar, coloque uma concha de massa e faça um movimento circular para que todo o fundo seja coberto. Com uma espátula, levante a pontinha do crepe para ver se está dourada. Quando estiver, vire de lado e deixe dourar o outro lado. Retire o crepe da frigideira e coloque-o num prato. Repita esta operação até acabar a massa.

Recheio:

1 xícara de queijo mascarpone
1 copo de iogurte grego
3 colheres (sopa) de mel
1 xícara de morangos frescos fatiados

Modo de preparo:

Numa tigela, misture todos os ingredientes. Coloque 2-3 colheres (sopa) em cada crepe enrole do formato que você prefira. Espalhe calda ou ganache de chocolate.

Nota: para quem tiver dificuldades de encontrar o queijo mascarpone, no blog tem uma receita de pavê de goiabada e mascarpone, na qual consta o preparo do queijo mascarpone caseiro, que aprendi num curso de confeitaria que substitui o industrial, com economia e eficiência.
 



quarta-feira, 8 de maio de 2013

Panqueca de Ricota e Espinafre com Molho Bechamel



Um ótimo exemplo de comida que tem que ter numa geladeira de família. É leve, saudável, fácil de fazer e fica meio pronta... Na hora, é só preparar o molho e dar aquela gratinada. E a receita é tão caprichada que serve até pra um jantar especial. 


Ingredientes:

Massa:

1 1/2 xícara (chá) de leite
1 xícara (chá) de farinha de trigo
2 ovos
1 colher (chá) de sal
manteiga ou óleo de canola para untar

Modo de preparo:

No liquidificador, junte o leite, a farinha de trigo, os ovos e o sal. Bata até a mistura ficar lisa. Deixe descansar no próprio copo do liquidificador por no mínimo 20 minutos até 1 hora, em temperatura ambiente. Enquanto isso,  prepare o recheio (veja a receita abaixo). Depois do tempo do descanso da massa (e com o recheio já pronto), aqueça uma frigideira antiaderente, de fundo grosso, de cerca de 22 cm de diâmetro, e espalhe um pouquinho de óleo ou de manteiga. Dê uma boa mexida na massa. Com a mão direita (se você não for canhoto!), levante a frigideira e com a outra, coloque a massa com uma concha média (que também serve de medida). Faça um movimento circular com a frigideira para cobrir todo o fundo. Coloque a frigideira sobre o fogo baixo e, quando as bolhas começarem a aparecer, vire a massa para dourar do outro lado com auxílio de uma espátula de borracha. O processo todo leva menos de 3 minutos por disco. Transfira para um prato, espalhe mais um pouquinho de manteiga ou óleo na frigideira e repita o procedimento, até terminar a massa. Rende de 10 a 12 discos.

Ingredientes:

Recheio:

500 g de ricota fresca
1 maço de espinafre fresco
1/4 de xícara (chá) de uvas-passas brancas
1/4 de xícara (chá) de rum
1 dente de alho
1 colher (sopa) de azeite
sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto

Modo de preparo:

Lave o maço de espinafre sob água corrente. Separe as folhas e deixe de molho por 10 minutos em água com solução desinfetante ou vinagre. Reserve os talos para outra preparação (picado e refogado fica ótimo.) Numa tigelinha, misture as uvas-passas com o rum para hidratar. Reserve. Descasque e pique fino o dente de alho. Reserve. Numa tigela grande, amasse a ricota fresca com um garfo. Tempere com sal e a pimenta-do-reino moída na hora.  Leve ao fogo médio uma frigideira antiaderente. Enquanto ela aquece, transfira as folhas de espinafre para uma peneira, assim as eventuais sujeirinhas ficam no fundo da tigela com a água. Coloque as folhas na frigideira e vá mexendo aos poucos, até que estejam macias, mas não totalmente murchas. Transfira as folhas de volta para a peneira e pressione para retirar o excesso de água. O espinafre vai ficar mais crocante. Volte a frigideira ao fogo baixo, regue com um fio de azeite e junte o alho picado. Misture bem, sem deixar dourar. Tire a frigideira do fogo (isso é importante para não ter perigo de o álcool pegar fogo e você se queimar) e junte as passas hidratadas e o rum. Volte ao fogo e misture até a bebida secar. Desligue o fogo e junte as folhas de espinafre. Tempere com o sal, pimenta-do-reino e misture o refogado à ricota amassada na tigela.

Ingredientes:

Molho bechamel:

1 l de leite integral
3 colheres (sopa) de farinha de trigo
3 colheres (sopa) de manteiga
1 pitada de noz-moscada
sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto

Modo de preparo:

Numa panela grande, derreta a manteiga. Junte a farinha e mexa vigorosamente com a colher de pau, por cerca de 2 minutos. Essa misturinha é chamada de roux e serve para engrossar molhos em geral. Coloque o leite de uma vez e, com a ajuda de um batedor de arame, misture bem, até levantar fervura. Abaixe o fogo e deixe cozinhar por cerca de 10 minutos, mexendo de vez em quando. No fim, tempere generosamente com noz-moscada, sal e pimenta-do-reino moída na hora.

Truque: se o molho empelotar, bata no liquidificador e volte à panela.



Ingredientes:

Montagem:

1/4 de xícara (chá) de nozes picadas
1/4 de xícara (chá) de queijo parmesão ralado
salsinha em folhas ou picada a gosto

Modo de preparo:

Pré-aqueça o forno a 180 °C (temperatura média). Coloque cerca de 2 colheres (sopa) do recheio na ponta da última panqueca da pilha. Enrole pressionando para que o recheio fique firme. Transfira para um refratário grande e repita o procedimento com os outros discos de panqueca. Regue as panquecas com cerca de 3/4 do molho bechamel. (O restante pode ser servido à parte.) Salpique com as nozes e com o queijo parmesão ralado. Leve ao forno por cerca de 15 minutos ou até o molho começar a borbulhar e dourar. Sirva com as folhas de salsa fresca.

























Fonte: Cozinha Prática










Dia das Mães - folga da cozinha, mas nem tanto...




Dia das Mães – folga da cozinha, mas nem tanto...

Nas datas comemorativas, sempre fico com uma certa preguiça de sair de casa para comer. Restaurantes abarrotados, barulho, demora, tudo muito cansativo para mim. Talvez você seja o oposto, e goste mesmo é de uma bagunça — ou talvez tenha tanto pavor das panelas que ache mais fácil enfrentar um restaurante.

Os habitués do blog já devem ter sacado que esse papo todo só tem um objetivo: incentivar você a encostar a barriga no fogão, até no Dia das Mães! Bem, não vou negar. Gosto mesmo de saber que as minhas receitas fazem com que as pessoas se animem a experimentar o prazer de cozinhar.

Para o Dia das Mães, porém, podemos fazer assim: nem cá nem lá. Talvez você não queira cozinhar o almoço todo. Mas também não precisa comer a sobremesa no restaurante. Se você que é mãe vai cozinhar, ou você que é filho(a) vai para cozinha, tem umas dicas incríveis no blog: tanto para fazer uma receitinha fácil ou uma mais elaborada. O mais importante é estar a família reunida com muita paz. Só não vale deixar a grande homenageada lavar a louça do almoço...

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Sorvete de Coco



O clima aqui anda meio doido – dias de 29º em pleno outono. Gosto do frio e das comidinhas aconchegantes que vêm com ele, porém confesso estar curtindo os dias de sol - a desculpa perfeita para fazer sorvete.










Ingredientes:

1 colher (sobremesa) de liga neutra
1 lata de leite condensado
2 caixas de creme de leite
2 colheres (sopa) de leite em pó
400 ml de leite de coco
1 colher (sobremesa) de emulsificante

Modo de preparo:

No copo do liquidificador colocar todos os ingredientes, (exceto o emulsificante) e bater durante 5 minutos. Levar ao freezer numa assadeira retangular por 2 horas. Colocar na tigela da batedeira, acrescentando o emulsificante e bater novamente por 5 minutos. Despeje num pote com tampa e voltar ao freezer. Após 2 horas bater novamente e 2 horas depois voltar a bater. Esse processo fará com que o sorvete fique mais cremoso.

Sugestão de acompanhamentos:
Calda de ameixa preta
Calda de frutas vermelhas
Calda de chocolate
Calda de caramelo
 










Couscous Marroquino com Frutos do Mar



Receita muito aromática e deliciosa, ideal para dias de festa. Super fácil de fazer, permite mil variações e combina sempre muito bem com diversos legumes, fazendo da sua refeição algo leve, descomplicado, mas ao mesmo tempo saboroso, nutritivo e requintado, ideal para dias de festa. A receita é de Carla Pernambuco, proprietária do restaurante Carlota - fui jantar lá no meu aniversário ano passado e me empolguei com suas comidas. Desde então sou grande admiradora de seu trabalho.





Ingredientes:

2 colheres (sopa) de óleo de milho
1 colher (chá) de cúrcuma
½ colher (café) de açafrão
1 bouquet garni: (salsinha, coentro e 2 ramas de canela)
1 cebola grande
1 colher (chá) de gengibre ralado
3 dentes de alho amassados
3 cenouras cortadas em 4
2 abobrinhas cortadas ao meio no sentido do comprimento
400 g de robalo (ou namorado ou cherne)
300 g de camarão
200 g de grão de bico pré-cozido e sem pele
1/2 xícara de pinolli
Sal a gosto
200 ml de caldo de especiarias

Couscous Marroquino:

500 g de couscous marroquino
500 ml de caldo de especiarias
1 colher (sopa) de manteiga
Sal a gosto

Cado de especiarias:

2 colheres (sopa) de azeite
1 colher (sopa) de cúrcuma
1 colher (café) de açafrão
1 colher (chá) de canela em pó
1 litro de água

Modo de preparo:

Em uma panela derreta a manteiga no óleo de milho, e refogue, a cúrcuma e o açafrão por 1 minuto, para liberar bem o aroma. Adicione então o buquet garni, a cebola, o gengibre ralado, os dentes de alho inteiros, e refogue mais 3 minutos, coloque as cenouras e um pouquinho do caldo para que não grude no fundo da panela. Corte o peixe em cubos grandes, e leve a panela junto com os camarões. Adicione o caldo de especiarias  e deixe cozinhar por 10 minutos. Coloque as abobrinhas e o grão de bico, acerte o sal. Cozinhe por mais 5 minutos, junte os pinollis e sirva acompanhado do couscous marroquino.



sexta-feira, 3 de maio de 2013

Crepes




Tenho essa receita há muito tempo. Acredito que seja do antigo programa Note e Anote com a Ana Maria Braga, na TV Record. Ela foi passada pela banqueteira Laka Brandão e todos elogiam pelo sabor e delicadeza da massa. Já postei a receita como Crepe da Mamãe, mas agora, gostaria de compartilhar somente a massa, e o recheio fica ao gosto do cliente, ou seja, da família. Um ótimo exemplo de comida que tem que ter numa geladeira de família. É leve, saudável, fácil de fazer e fica meio pronta... Na hora, é só preparar o molho e dar aquela gratinada. E a receita é tão caprichada que serve até pra um jantar especial  Sugestão: frango com Catupiry, quatro queijos, bacalhau com Catupiry,salaminho com queijo provolone, carne seca com abóbora, camarão ao Catupiry etc., e uma versão mais light: ricota e espinafre com molho branco.




Ingredientes:

Massa:

2 xícaras de farinha de trigo
1 colher (chá) de sal
4 colheres de sopa de óleo de canola
2 xícaras de leite
½ xícara de soda limonada
2 ovos

Modo de preparo:

Peneire junto a farinha de trigo e o sal. No liquidificador coloque os ovos, o óleo, o leite e  a soda limonada. Adicione os ingredientes secos e bata até obter uma massa lisa e fina. Certifique-se de que não ficou farinha de trigo grudada na parede do copo do liquidificador. Leve à geladeira para descansar por 30 minutos. Unte com manteiga uma frigideira antiaderente. Retire o excesso de manteiga com um papel-toalha. Leve ao fogo médio. Quando esquentar, coloque uma concha de massa e faça um movimento circular para que todo o fundo seja coberto. Com uma espátula, levante a pontinha do crepe para ver se está dourada. Quando estiver, vire de lado e deixe dourar o outro lado. Retire o crepe da frigideira e coloque-o num prato. Repita esta operação até acabar a massa.
 



Crepes da Mamãe






Neste Dia das Mães, inverta os papéis e tire a sua mãe da cozinha. Ataque de chef  e prepare este crepe especial. Ela ficará tão bem impressionada que não vai nem reparar se você se esquecer do presente:












Ingredientes:

Recheio:

150 g de presunto - moído
150 g de lingüiça calabresa picante - processada
3 colheres (sopa) de manteiga
3 ovos
½ xícara de farinha de rosca
½ xícara de queijo parmesão ralado
1 ½ xícara de ricota fresca ralada
500 g de carne moída refogada a gosto (sugestão: cebola, alho, molho inglês, orégano e sal)

Molho:

1 colher (sopa) de azeite
1 colher (sopa) de manteiga
2 xícaras de tomates cortados em cubos sem pele e sem sementes
1 cebola cortada em pétalas
1 dente de alho picado
Folhas de manjericão a gosto
Cheiro-verde a gosto

Massa:

2 xícaras de farinha de trigo
1 colher (chá) de sal
4 colheres de sopa de óleo de canola
2 xícaras de leite
½ xícara de soda limonada
2 ovos

Finalização:

1 xícara de queijo provolone

Modo de preparo:

Peneire junto a farinha de trigo e o sal. No liquidificador coloque os ovos, o óleo, o leite e  a soda limonada. Adicione os ingredientes secos e bata até obter uma massa lisa e fina. Certifique-se de que não ficou farinha de trigo grudada na parede do copo do liquidificador. Leve à geladeira para descansar por 30 minutos. Unte com manteiga uma frigideira antiaderente. Retire o excesso de manteiga com um papel-toalha. Leve ao fogo médio. Quando esquentar, coloque uma concha de massa e faça um movimento circular para que todo o fundo seja coberto. Com uma espátula, levante a pontinha do crepe para ver se está dourada. Quando estiver, vire de lado e deixe dourar o outro lado. Retire o crepe da frigideira e coloque-o num prato. Repita esta operação até acabar a massa.


Recheio:

Misture as carnes muito bem com a manteiga, ovos, farinha de rosca e o queijo parmesão. Leve à geladeira por 1 hora. Em seguida distribua o recheio sobre os crepes e sobre estes a ricota (1 colher (sopa) cheia em cada um). Enrole-os e coloque em refratário untado.

Molho:

Aqueça o azeite e a manteiga. Refogue a cebola e o alho até ficarem dourados. Acrescente os tomates e as ervas. Reduza o fogo e cozinhe até formar um belo refogado. Despeje sobre os crepes, polvilhe com o queijo provolone e leve ao forno pré-aquecido a 180º por 20 a 30 minutos.

Sirva com salada verde

Fonte: Laka Brandão






quinta-feira, 2 de maio de 2013

Arroz Doce Tradicional


O arroz é um grãozinho tão fantástico que, além de alimentar a humanidade há milênios e estar presente em pratos salgados de praticamente todos os continentes, ainda vira uma sobremesa não menos deliciosa: o arroz doce. Quer coisa mais gostosa? Este tradicional doce brasileiro também existe em outros países, como na culinária indiana e nos países de língua inglesa (onde é conhecido como "rice pudding", ou pudim de arroz).
 A versão brasileira básica, leva leite condensado, canela em rama e cravo da índia. E, ainda um segredinho: raspinhas de laranja ou limão para perfumar. Mas com um ingrediente curinga como este, de sabor tão delicado, sempre há espaço para ousar. Você já comeu arroz doce com cardamomo? Ou com calda de frutas vermelhas? Por enquanto, segue a receita do arroz doce tradicional, daí você usa a imaginação e de acordo com as preferências da família, você cria seu “personal rice pudding”...







Ingredientes:

2 xícaras (chá) de arroz
2/3 de xícara (chá) de açúcar
1 pitada de sal
4 xícaras (chá) de leite
4  xícaras (chá) de água
1 lata de leite condensado
1 caixa de creme de leite
casca de 1 laranja
1 rama de canela
3 cravos da índia
canela em pó a gosto

Modo de preparo:

 Lave o arroz e deixe escorrer numa peneira ou escorredor. Numa panela média, junte o leite, a água, o arroz, o açúcar, o sal, a casca de laranja (sem a parte branca), a canela e o cravo. Leve ao fogo alto e misture muito bem. Quando começar a ferver, abaixe o fogo para médio e deixe cozinhar por 15 minutos, mexendo de vez em quando. Após os 15 minutos, acrescente o leite condensado e o creme de leite, mexendo sempre, e deixe cozinhar por 5 minutos. Retire do fogo e transfira para um recipiente para esfriar. Quando amornar, leve à geladeira. Polvilhe com canela em pó na hora de servir.

Fonte: Rita Lobo